ProteGEEr

Sanepar e GIZ assinam acordo de cooperação em gestão de resíduos sólidos

Por ProteGEEr, publicado em 02.04.19, última modificação em 02.04.19

Acordo entre agência alemã e companhia de saneamento visa difusão de conhecimento e apoio a projetos

A Companhia de Saneamento do Paraná (Sanepar) assinou nesta quarta-feira (27), em Brasília, um acordo de Cooperação Técnica Internacional com a Deutsche Gesellschaft für Internationale Zusammenarbeit (GIZ) GmbH, representando o Ministério do Meio Ambiente da Alemanha (BMU), para capacitação e assessoria técnica em gestão integrada de resíduos sólidos urbanos (RSU). O evento ocorreu na sede da Associação Brasileira das Empresas Estaduais de Saneamento (AESBE).

A parceria oferece uma assessoria técnica específica para a Sanepar, voltada a estabelecer um modelo de gestão integrada de RSU na região através de aplicação de ferramentas de apoio à tomada de decisão, realização de eventos técnicos de capacitação, atividades de difusão de conhecimento, assesoria técnica e suporte a projetos de referência.

Atualmente, a Sanepar está conduzindo, junto às prefeituras da região da Londrina (AMEPAR), a implantação de um sistema de gestão integrada de RSU que buscará atender, a partir da cidade de Prado Ferreira, todos os municípios próximos. Hoje, a empresa é responsável por operar três aterros sanitários que atendem a sete municípios paranaenses.

De acordo com o Gerente de RSU da empresa, Charles Carneiro, “a Sanepar entende que precisa ajudar os municípios. Para fazer isso, nós estamos buscando know how, estamos buscando expertise, estamos buscando bons parceiros e a GIZ se enquadra dentro daquilo que a gente está buscando como um parceiro técnico, uma consultoria de qualidade para poder desenvolver esse projeto”.

A Sanepar é um dos seis projetos piloto no Brasil selecionados pela GIZ/ProteGEEr p­­ara apoio técnico voltado a uma gestão integrada de RSU com baixas emissões de gases de efeito estufa (GEE), até o fim de 2020. Este projeto terá também a parceria de oito universidades, como a Universidade Estadual de Londrina (UEL) e a Universidade Técnica de Braunschweig, da Alemanha.

Próximos passos

Após a assinatura do acordo, começa o apoio do ProteGEEr em diferentes âmbitos. Para os municípios da AMEPAR ainda é necessário negociar com as prefeituras os contratos de programa e consolidar as tecnologias que serão implementadas no município.

Em seguida, será feita uma chamada pública (PMI) para ouvir o mercado (empresas de projetos e tratamento de resíduos) sobre quais tecnologias são propostas para a implementação do sistema nos moldes definidos pela Sanepar. Por fim, será realizado um processo licitatório para executar o projeto entre 2020 e 2021 na região da AMEPAR.

Para o Diretor Nacional da GIZ no Brasil, Michael Rosenauer, o acordo de cooperação terá bons resultados: “O Brasil tem um enorme potencial e uma demanda clara na área de gestão de resíduos sólidos urbanos. Além disso, sua economia precisa considerar a variável climática para os próximos anos. A Alemanha, por sua parte, tem muita experiência na gestão de resíduos sólidos, urbanos principalmente, na implementação de uma economia circular”.